terça-feira, 28 de janeiro de 2014

Já parou pra ler hoje ?


Mudança

Após  5 anos de Mundo Leitor, decidimos por mudar. Nesses 5 anos conheci gente demais, criei amizades virtuais e físicas também, cresci muito como escritor e como blogueiro... Posso seguramente afirmar que foram os melhores 5 da minha vida. O Mundo Leitor foi meu ponto de escape, justamente por ser meu mundo, onde nada nem ninguém me afetava, isso aqui pode parecer pouco mas sempre foi meu tudo, isso aqui significa muito pra mim, muito mesmo. É por isso que esse é o texto mais difícil que escrevi até hoje. Prometi pra mim mesmo que o ML nunca seria trabalho, graças a Deus nunca foi, foi diversão. Agora vou partir pra realizar um sonho, sim, um sonho. Eu em conjunto com todos os participantes do ML e em comum acordo criamos um Portal Literário, ainda vai ser o ML por que todos que eram daqui estão lá, mas pra ficar completo precisamos de vocês. Saibam que estou triste e ao mesmo tempo feliz... aquele menino de 13 anos que decidiu criar um blog, cheio de erros de português, estaria orgulhoso desse menino de quase 20 que decidiu criar um portal... No mais, muito obrigado a todos vocês ( mais de 100 mil visitantes ) por estes 5 anos maravilhosos. O Mundo leitor é e sempre será o meu MUNDO !


sexta-feira, 3 de janeiro de 2014

Cada flor em sua época

Boa noite jovem, 

Não sei por onde começar. Começarei te agradecendo pelas palavras bondosas, pelas palavras engraçadas, pelas palavras ofensivas. Senti-me tão bem gastando meu tempo contigo, senti-me tão alegre com o seu sorriso, senti-me tão incentivada com a sua respiração. Senti tanto que acabei sentindo demasiado de ti. 

"Friends, Lovers or Nothing". Mal sabia eu que o ultimato de John Mayer também serviria para mim. Mas somente pra mim. Quando nossas palavras se cruzaram, os gostos se opuseram e as risadas sem motivo aparente, só de olhar, surgiram, não sabia que já tinha me perdido. 

Peço-te desculpas por não poder cumpri com as minhas promessas. Peço-te desculpas por não conseguir ser conivente com um meio termo. Peço-te desculpas por deixar tuas fantasias pela metade. Peço-te desculpas por não resistir à sua simpatia com quem quer que seja. Peço-te desculpas por te admirar demais.

Esta noite eu dirigi sem rumo pela cidade, algo inaceitável nos meus dias sóbrios. Parei em um estacionamento escuro e fiquei sentada dentro do carro refletindo sobre o incômodo que estava sentindo. Até chorei, confesso. Concluí que amor livre é deixá-lo fazer suas próprias escolhas. No entanto, já sabia qual era antes mesmo de nos envolvermos. 

Seria uma tentativa infeliz da minha parte descrever a beleza das horas que passei na tua companhia. O tempo não foi importante, a intensidade sim. Contudo, não posso viver doente por não poder andar de mãos dadas contigo na rua. Não posso me condenar à sombra. Não posso me dar ao luxo de conter a liberdade do sentimento. Não posso me permitir viver das sobras.

Queria me apegar às pessoas como me apego aos objetos. Seria mais fácil suprir tua falta. Utopia achar que pode-se substituir o sentimento de alguém pelo sentimento de outro alguém. Ainda que fossem iguais, seriam diferentes. 

Mas enquanto não tenho coragem para dizer-te adeus, vou colando os cacos como posso. Não sei quanto de cola ainda tem, mas sei que não será suficiente por muito tempo.


Texto: Francisca Laylla

Pintura de Damian Klaczkiewicz

terça-feira, 24 de dezembro de 2013

Resenha: Álbum de Casamento

Nome: Álbum de Casamento
Série: Quarteto de Noivas Vol.1
Autora: Nora Roberts
Editora: Arqueiro
Páginas: 288
ISBN: 9788580412215








Sinopse:
Mackensie Elliot não teve uma infância feliz. Seus pais se separam quando ela era pequena e nenhum dos dois deu muito apoio e atenção à filha. Seu porto seguro eram as três melhores amigas — Parker, Laurel e Emma.
Elas cresceram unidas e fundaram uma empresa de organização de casamentos na qual Mac é responsável pela fotografia. (...)
Na adolescência, Carter Maguire era tímido, meio nerd e nunca teve coragem de se declarar para a menina ruiva de quem gostava. Mais de dez anos depois, ele está de volta à sua cidade, para dar aula de inglês na escola em que estudara.
Intimado a acompanhar a irmã numa reunião para planejar o casamento dela, Carter não está muito animado com a ideia. Mas isso muda assim que ele chaga ao local e dá de cara com sua antiga paixão de adolescente.
Um encontro casual e desastrado, que pode virar suas vidas do avesso e mudar completamente a ideia que tinham sobre o amor.

Atualmente estou em uma fase de romântica literária, deixando de lado, por enquanto, os livros cheios de ação com lutas épicas com uma grande dose de mistérios mirabolantes e  dos romances eróticos regados de sexo, voyeurismo, sadomasoquismo entre outras modalidades. Hoje mergulho de cabeça em livros cheios de amor, beijos carinhosos e  com várias frases de “eu te amo” durante a leitura. Fazendo com que esses livros sejam visto como leitura água com açúcar ou livro de mulherzinha — sendo um tema que eu, acredito que maioria das mulheres leitoras gostam.
E não existe uma autora melhor para começar essa fase “cor de rosa” do que a rainha dos romances, Nora Roberts. Ela possui mais de 200 livros produzidos, sendo no Brasil, publicados pelas editoras Bertrand Brasil, Harlequin Brasil e agora pela editora Arqueiro, que adquiriu os direitos de tradução e publicação sobre a série Quarteto de Noivas, produzido originalmente entre 2009 e 2010.
Cada livro da quadrilogia foca em uma das quatro mulheres que são grandes amigas de infância e sócias numa empresa de planejamento de casamentos; só que ironicamente, nenhuma delas se casou.
Mackensie não acredita no amor. Por conta do divórcio de seus pais ela passou a pensar que o amor era um estado momentâneo, que poderia acabar de forma bem simples. Pensando em preservar pelo menos parte desse sentimento, ela procura captar os momentos felizes de outras pessoas para que pudessem ser revividos no futuro; sendo a fotografa da agência de casamentos Votos.
Ela é uma mulher organizada (pelo menos na área profissional), decidida e muito criativa. Mas nem tudo é sempre perfeito na vida dela. Mesmo trabalhando com que gosta e junto das melhores amigas, Mackensie sofre com as chantagens emocionais que sua mãe provoca para conseguir tudo dela e também com a falta do pai.
Só que a vida dela está prestes a mudar. Uma velha conhecida do quarteto de amigas decide se casar e pede ajuda ao irmão para ajudar nas escolhas dos preparativos do casamento. O prestativo irmão é Carter Maguire, professor de literatura na antiga escola na qual estudava, e que sempre teve uma paixonite por Mackensie, porém sempre fora muito tímido para expressar seus sentimentos quando era adolescente, mas tudo que sentia volta quando encontra a fotografa da agência. Tendo a chance, depois de quinze anos, para poder conquista-la.

“— Liste cinco razões para querer voltar a me ver.
— Tem que ser em ordem de prioridade?
Droga, que droga, ela gostava mesmo dele.
— Não. Mas seja rápido. Liste as cinco primeiras que lhe vierem à cabeça.
— Ok. Gosto do seu jeito de andar. Acho você bonita. Quero saber mais a seu respeito. Quero dormir com você. E, quando estamos juntos, eu sinto.
— Sente o quê?
— Apenas sinto.”
(Pág.102)

Carter é um homem muito doce (e lindo) que possui uma bela família. Tem um ar de menino tímido que o torna muito encantador para Mackensie ele de alguma forma, consegue captar do que ela precisa.
No entanto, mesmo descobrindo novas emoções, Mac ainda mantém o pé atrás na questão de relacionamentos com o sexo oposto. Correndo o risco de perder a coisa mais importante de sua vida.

“— Isso está fora de cogitação. Por que acha que fugi? É como afundar em areia movediça. Uma areia movediça bem macia, quentinha e bonita. Não fui feita para isso. Não acredito nesse tipo de coisa. Isso não dura. É só um instante, ou vários instantes, até que tudo se dissipa, se desgasta e acaba. Meu Deus, em quantos casamentos de pessoas divorciadas já trabalhamos? Um monte. Para uma das partes, já era a terceira vez que estava se casando. Quem precisa disso? Sei o que se sente quando tudo termina. Não vale a pena.”
(Pág. 152)

Toda leitora conhecedora de romances, deve perceber que esse tipo de gênero sempre possui uma certa previsibilidade, sem deixar de ser cativante. Mas o diferencial está nos modos como cada história é conduzida para o “felizes para sempre” do casal protagonista. E esse é o ponto chave de toda a obra: traçar um caminho que leve até o final, mas trazendo surpresas e noticias inusitadas para poder aproveitar e refletir durante a leitura, sobre as alegrias e dificuldades que se tem na obra até a palavra “Fim”.
O próximo volume da quadrilogia, Mar de Rosas dará continuidade a série focando na florista da agência Emma Grant.






Escrito por Ana B.
Revisado por Leandro Justino

sexta-feira, 20 de dezembro de 2013

Outras bocas, outros corpos!


E depois de tanto tempo minha boca encostou-se a outras e sensação alguma eu senti. O seu beijo não foi o melhor dos quais já experimentei, porém, sempre foi o que mais quis. Era seu sorriso bobo e aqueles lábios pouco rosados que me faziam acreditar no meu melhor.

Eu confesso que foi estranho me deitar e tocar outros corpos, mesmo que esses corpos sejam mais bonitos que o seu. Mas eu queria o seu corpo, as suas curvas perfeitas ou não. Era o que me fazia feliz. Eu queria estar com você.

Como fomos nos perder assim no caminho? Quando você deixou de acreditar no meu melhor? Em qual cruzamento eu fiquei parado e você prosseguiu, segundo você! Você fugiu.

Fazer por fazer, agora é isso. Sensação nenhuma, estranheza dos leves toques recebidos. Mas que não vinham das suas mãos. Gemidos ofegantes ao pé do meu ouvido e também não vinham de sua boca. Satisfeita, expressão de prazer máximo. Ápice do sexo, ela goza e deixa evidente o quanto gostou. Porém, não era você quem gostava. Também não era o seu rosto que continha tal expressão. Por hora, eu não sinto nada de prazer, nem de desejo.

Mas estou vivo, deixou-me para outras bocas e outros corpos. Você fugiu...

Joá Jr.

Leia também

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...